14/11/07













Já tive a rosa do amor
- rubra rosa, sem pudor.
Cobicei, cheirei, colhi.
Mas ela despetalou
E outra igual, nunca mais vi.
Já vivi mil aventuras,
Me embriaguei de alegria!
Mas os risos da ventura,
No limiar da loucura,
Se tornaram fantasia...
Já almejei felicidade,
Mãos dadas, fraternidade,
Um ideal sem fronteiras
- utopia! Voou ligeira,
Nas asas da liberdade.
Desejei viver. Demais!
Segurar a juventude,
Prender o tempo na mão,
Plantar o lírio da paz!
Mas nem mesmo isto eu pude:
Tentei, porém nada fiz...
Muito, da vida, eu já quis.
Já quis... mas não quero mais...


Cecília Meireles

4 comentários:

Aspásia disse...

ERVILHOKAS

BELO POEMA DE FACTO SEI QUE É UMA POETA MARAVILHOSA MAS LI POUCO DELA...
OLHA TB. ESTOU COMO O POEMA, A VIDA VAI-NOS OBRIGANDO A BAIXAR AS EXPECTATIVAS! OU PELO MENOS ALGUMAS FASES DA VIDA...

BEIJOKAS
NONOKAS

Eliana Mara disse...

ayMaria, que bom saber que gostas de Cecília.
Gostaria de conhecer mais sobre voce e de trocar cartas.
Estou gostando de voltar a correspondencia, tão bom receber envelopes e papeis e tudo o mais que vem junto com cartas.
Se aceitas, trocamos endereços?
Abraços e mande notícias
ah, tem uma postagem no blog que queria muito que voce lesse (luto imaginado)

PAH, nã sei! disse...

Com as expectativas "minimizadas ao minimo dos expoentes" mas, identificada com a imagem (porque será :(

Beijoca "mendeliana" ;)

TINTA PERMANENTE disse...

Porém... nada fez!

abraço.

passearam no meu país...

Raríssimas...sabe o que é?

A minha "mais Kika"

A minha "mais Kika"

Dizer Não!!!

om

Alguns minutos de Boa Música

Loading...

www.endviolenceagainstwomen.org.uk