30/12/08

...receita velha para Ano Novo!


Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)



Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.



Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.



Carlos Drummond de Andrade

28/12/08

...urgentemente é urgente!



















É urgente o Amor,
É urgente um barco no mar.
É urgente destruir certas palavras
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.
É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.
Cai o silêncio nos ombros,
e a luz impura até doer.
É urgente o amor,
É urgente permanecer.

Eugénio de Andrade

O mundo está tão triste que arrancar um sorriso a alguém é uma proeza!

22/12/08

...e já é Natal, outra vez!


"Chove. É dia de Natal
Lá para o Norte é melhor:
Há a neve que faz mal,
E o frio que ainda é pior.

E toda a gente é contente
Porque é dia de o ficar.
Chove no Natal presente.
Antes isso que nevar.

Pois apesar de ser esse
O Natal da convenção,
Quando o corpo me arrefece
Tenho frio e Natal não.

Deixo sentir a quem quadra
E o Natal a quem o fez,
Pois se escrevo ainda outra quadra
Fico gelado dos pés"


Fernando Pessoa

12/12/08

Tudo Vem, minha menina-anjo!

por ti M. da minha vida,viraria do avesso o avesso das coisas...

01/12/08

...devia ser todos os dias, não acham?




porque continua a matar, indiscriminadamente, e os portugueses declaram ter VERGONHA E MEDO DE FAZER O TESTE DE DESPISTE DO VIH...

26/11/08

...variação sobre rosas























"Como as rosas selvagens, que nascem
em qualquer canto, o amor também pode nascer
de onde menos esperamos. O seu campo
é infinito: alma e corpo. E, para além deles,
o mundo das sensações, onde se entra sem
bater à porta, como se esta porta estivesse sempre
aberta para quem quiser entrar.

Tu, que me ensinas o que é o
amor, colheste essas rosas selvagens: a sua
púrpura brilha no teu rosto. O seu perfume
corre-te pelo peito, derrama-se no estuário
do ventre, sobe até aos cabelos que se soltam
por entre a brisa dos murmúrios. Roubo aos teus
lábios as suas pétalas.

E se essas rosas não murcham, com
o tempo, é porque o amor as alimenta."

Nuno Júdice, in "Pedro, Lembrando Inês"

25/11/08

...a propósito das ciências sociais( mal amadas)


(...)Mas, se observarmos uma outra produção moderna inclusa no mesmo projecto positivista, “A declaraçao universal dos direitos humanos”, vemos que esta pretende estabelecer uma imagem de homem/mulher com direitos inalienáveis independentemente de toda a condição de género, raça, credo, etc..., um homem, uma mulher sem, precisamente todos os atributos que o/a define e com os quais as Ciências Sociais trabalham.
Que homem/mulher é este/a? Que paradoxo é este? O da razão que cria um homem e uma mulher desumanizado/a e que no entanto encontra o seu máximo de expressão humana neste projecto? Esta tensão é plenamente ilustrativa da tensão que pode então existir entre a produção da chamada ciencia necessária ou positivista e a ciencia social ou humana.

Não obstante , e à parte problemas de estipulação e nomeação , que representam sobretudo questões de poder, as ciências confluem apesar das aparentes contradições e não se excluem.

22/11/08

...altruísmo?


Vamos fazer algo diferente pelos sem-abrigo?
Claro!(resposta em uníssono, de mais de 30 colegas)!
Dar uma peça de roupa nova, comprada propositadamente para cada um dos que pudermos alcançar. Um par de meias quentinhas, uma camisola, um pólo, roupa interior...
Mas , novo, com etiquetas por cortar!
...

Estamos no final de Novembro e apenas uma(além de mim) trouxe uns pares de meias novas, de angorá, quentinhas! Fatos que o marido não usa, camisolas com borboto, puídas do uso e que lá em casa ninguém pega, sapatos manchados que para "eles" servem: @s restantes!
Ah...altruísmo!
Se há beleza na dádiva, ela consiste em dar o que nos faz falta e não em despejar para os outros aquilo que não nos serve!

Mas , o Natal está à porta e as caridadezinhas vão-se encarregar de aparecer nos big écrans das tv´s e dos jornalecos, feitos de hipocrisias mil.

Aos que, acaloradamente, refutam esta minha teoria apenas umas palavras:

Sejam felizes, se conseguirem!

...outros amores






















O bloco em que escrevo foi-me oferecido pela minha filha.
Trouxe-o de uma das suas infindáveis viagens , Madrid-Porto, Praga-Porto, Paris-Porto.
Desenhou-lhe na capa uma mão, vendo melhor duas mãos, unidas por longo braço e após um olhar atento vê-se uma árvore. Sim! Uma árvore em que uma mão é a copa e outra as raízes, compridos dedos, terra adentro, coração , alma, vida, alegria, angústia...
Hoje escrevi(-lhe): quem me dera saber escrever amor , de forma tão bela que um só olhar lesse numa palavra ,por mim escrita, o Todo que o mundo abarca.

06/11/08

...pois é!

"When we are no longer able to change a situation - we are challenged to change ourselves.”

Viktor Frankl

23/10/08

...a ti, uma dedicatória póstuma










Assim eu quereria meu último poema
Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais
Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas
Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume
A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos
A paixão dos suicidas que se matam sem explicação.

Manuel Bandeira

14/10/08

...do sentido dos dias


“(…) Se, depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia,
Não há nada mais simples.
Tem só duas datas, a da minha nascença e a da minha morte.
Entre uma e outra todos os dias são meus. (…)”

Alberto Caeiro

28/09/08

...passar a palavra!


"Tudo é memória!", escreveu um dia o Professor Óscar Gonçalves.
Mas, há quem não saiba que as memórias dos outros
são tão importantes como as nossas...
Li isto aqui , depois do alerta feito por Rui Bebiano aqui.
Quem teve familiares, amigos, conhecidos (ou apenas se mantém
bem informado ou leu a história da Pide escrita pela Irene F.Pimentel, pelo menos!) que passaram por Peniche/Forte= Prisão
não pode fazer de conta.
Passar a palavra é o mínimo!

27/09/08

...dedicatória especial ao RCP e ao LM

Um francês entra num bar.

Tem um papagaio vestido de smoking no ombro.

O barman diz:

- Meu Deus, que lindo! Onde arranjou isso?

O papagaio responde:

- Na França. Lá tem milhões de sujeitos iguais a este.


Thomas Cathcart e Daniel Klein in "Platão e um ornitorrinco entram num bar"

21/09/08

...they're our best friends, indeed!I mean dogs, cats, aso!!!





Did you know that just being in your pup's presence makes you healthier? Here's what the latest research suggests:

• Petting your pup boosts production of pleasure hormones in the brain, helping to keep your stress and blood pressure at healthy levels.
• Canine company aids the recovery of heart attack patients and has a calming effect on people with Alzheimer's.
• Regular walks with your dog lift your mood and improve your fitness.
• Kids who grow up with dogs seem to have stronger immune systems and may be less likely to develop asthma, eczema, and pet allergies later in life.


DogAge <1.63290.31303637313739@ramailer.realage.com

...opinião, só isso!

Quem é apenas escritor/a, nem escritor/a chega a ser...
Isto prova que os/as há em plenitude social e humana.

18/09/08

...é bom receber presentes feitos de palavras!


"Foi a minha mãe que me ensinou a escrever: a minha mãe ensinou-me a escrever.
Primeiro apenas algumas letras, simples esquemas quase geométricos, soltos mas que assim sozinhas eram já expressão possível pelo menos para mim que perguntava muitas vezes é?

A minha mãe ensinou-me a escrever. A maior parte das vezes para que pudesse assinar os desenhos e as colagens e as pinturas e os recortes, para que não tivesse outro que o fazer ou para que não fosse alguém levá-los, usurpá-los, confundi-los,copiá-los ou simplesmente perderem-se e nunca mais se acharem.
E, penso, por razões sobretudo de sobrevivência dos documentos de mim, a minha mãe me ensinou a escrever. Primeiro o meu nome. O meu primeiro nome. Em letra maiúscula e de imprensa, em folhas brancas, sem linhas, nos espaços desocupados pelas imagens.

Depois aprendi os números."



Marta Bernardes in "Arquivo de nuvens"

06/09/08

...hoje já não é inverno

















Ontem foi inverno. Sem o frio.
Saí e fui até à ponte.
O rio, o mar, as duas cidades.
Lembrei-me de quando era criança, o meu pai levou-me lá,
pegou-me ao colo, apontou para o horizonte e falou serenamente ao meu ouvido:
"Vês? É ali que o mundo acaba e o céu começa."
Eu perguntei-lhe o que era o céu.Ele respondeu que o céu era o mundo ao contrário.
Se ele ainda cá estivesse ia, de certeza, pensar que estamos no céu.

04/09/08

...e há presentes assim!

Quando saber é o segredo
Falta ainda arrumar todo o vazio
Longe dos nomes e do medo
das chuvas dos olhares do muito frio

Apartar o predicar da predação
Sorrir o mal cardíaco da luz
Que despe e denuncia a escuridão
e assim clara como cega nos conduz

03/09/08

...da improbabilidade do riso

Diz-me o mestre: "o seu trabalho está muito filosófico.
Tem de me dar algo de mais palpável!"
Calei e saí.
Digo à minha amiga:" sabes que o mestre diz que
está muito filosófico, tem de ser mais palpável!!!"
Resposta pronta da amiga:
"simples! escreve o trabalho em braille!"...

02/09/08

...o Big Brother tem novo nome!

O trânsito fluiu e cheguei cedo a casa.
Sandálias fora, saco no chão , livros para cima do sofá e
zás: ligo o televisor. Estava sintonizado na Sic Mulher...
"A casa do Dr.Phil"!
Já viram? Eu vi e fiquei agoniada!
O psicólogo mais mediático dos Estados Unidos da América
e reconhecido como um dos "the best one" consegue fazer
um show(e aqui vale a bivalência da palavra) de voyerismo,
mais repugnante do que qualquer Big Brother da televisão nacional!
Em nome de quê, Dr. Phil? Da saúde psicológica dos intervenientes,
espectadores e seus fiéis seguidores?
Está tudo doido!?

31/08/08

...feminismo e os "States"

Para quem ainda (se) confunde , nada como ler quem sabe!
Ou ainda vão na lenga-lenga que está provado cientificamente,
blá, blá,blá ...que os homens são mais tudo, e tal e coisa ,
inteligentes e dotados de raciocínio lógico-indutivo
do que as mulheres?

30/08/08

há mesmo gente que gosta de me estragar o dia!
























E abri o e.mail cedinho para ter esta bela notícia!!!( e a notícia já tem 29 dias!ou seja, quase um mês em que andei distraída ...)
Alguém me pode ajudar a encontrar provas, irrefutáveis,
do contrário?

Ó (blog)amizade ! a quanto (me) obrigas...

Pois é Jorge C.! eu também não aprecio este estilo de correntes, mas com um epíteto de blogamiga não resisto e assim, não vou cortar a corrente( palavra ambígua, não achas?)

Se, durante vinte e quatro horas em férias, pudesse assistir aos seguintes eventos, qual a ordem cronológica que escolheria para fazê-lo - dança/bailado; peça de teatro; exposição; cinema?

Vivo a uns escassos minutos da cidade Invicta, mas apesar de lermos parangonas de grandes espectáculos(na Praça D.João I, óbvio!) não os há nem na quantidade, nem na qualidade que desejava. Mas, se as 24h imaginárias/imaginadas coincidissem com uma 5ª feira, eu faria assim:
Serralves pela manhã, com um café tomado na cafetaria da antiga quadra de ténis e exploração da exposição antológica/retrospectiva de Manoel de Oliveira, depois abalava para o Convento de S.Bento da Vitória e “exigia” rever a peça Running da Meg Stuart;desceria em direcção à Ribeira e almoçava por lá( qualquer coisita frugal, numa esplanada, porque eu aprecio mais jantares do que almoços) e depois iria até Arca d´Água ,ao Ballet Teatro e deliciava-me com os ensaios de grandes dançarinas/os que por lá cohabitam até ser hora duma sessão de cinema, talvez nas salas do Norteshopping( têm uma tipo vip muito agradável) para ver o Wall-e e jantaria , com todos os condimentos num bom local( aqui há tantos e bons, não é Jorge?) e iria para o Teatro do Campo Alegre( não para ver teatro) para uma das “Quintas de Leitura”, um projecto/sucesso conduzido pela mão do João Gesta e ouviria, digeriria, veria uma sessão fantástica( claro que há algumas que o são menos...) de poesia, música, performance, diversão e claro cultura no seu melhor.

Um filme visto ou revisto recentemente e um filme a ver ou rever?

Tropa de Elite. Saí do cinema com a sensação de ter estado a ver uma reportagem dum qualquer canal televisivo no Brasil, país com que tenho grandes afinidades sentimentais. Não o reveria, mas aconselho ! O cartaz de cinema não me tem agradado, e quase por vício, fui ver o, dejá vue!, “Quero acreditar”( um pobre episódio dos X-files) e “Hancock”(bah!!!!!) ...valeu pela companhia.
Reveria de bom grado My Blueberry Nights.

Um livro lido recentemente e um livro a ler ou reler?

Middlesex de Jeffrey Eugenides,um delicioso livro, bom para abrir horizontes sobre a condição humana, que é estabelecida por gênero e implicitamente pelos dois sexos: o masculino e o feminino. A ler, já iniciado, a História da PIDE em Portugal, da premiada historiadora Irene Flunser Pimentel, alternado com o José Gil e “ao meio dia, os pássaros “e um fantástico livro , em espanhol, de Carlos Castaneda, “Las enseñanzas de don Juan”.
A reler? Bem, tenho tantos livros que gostava de ler que nem me ocorre algum que gostasse de reler de imediato, embora muitas vezes pense que li alguns de forma muito "ligeira".
Quando precisar dele(s) certamente o(s) relerei!

E , com toda sinceridade acho que a corrente( que palavra!) vai partir-se por aí, mas eu vou desafiar(em voz baixa) a Pah(zinha), o Oscar( lá no belo Nordeste brasileiro), a IsA e a Teresa que é uma mão cheia de talento(s).

24/08/08

...ah! então é isso!

"Ser estúpido, egoísta e ter boa saúde são três requisitos para a felicidade, mas se o primeiro faltar está tudo perdido..."

Gustave Flaubert

20/08/08

1968-2008- Praga e o fim da Primavera












"Mas o que pode valer a vida, se o primeiro ensaio da vida, já é a própria vida."

Milan Kundera in "A insustentável Leveza do ser".


Foto de Josef Koudelka

12/08/08

...eu não diria melhor!

"Odeio quem me rouba a solidão sem em troca me oferecer verdadeira companhia."

Nietzsche

08/08/08

8/08/2008....08h08m



















Nem que a vaca tussa...eu não pactuo com a glória amarrotada destes Jogos Olímpicos!

28/07/08

...como se escreve bem em português!







"A leitura é uma coisa que se educa. Que se ensina e que se aprende.
O problema é que qualquer grande escritor tem de ensinar os seus leitores a lê-lo.
O grande juiz acaba sempre por ser o tempo."

António Lobo Antunes

24/07/08

...poetas

I would be
A painter with words
Creating sharp portraits
On the wide canvas of your mind
.

Frank Marshall Davis

21/07/08

...mais vale tarde do que nunca!

A Assembleia da República aprovou a 18 de Julho de 2008 a Ordem dos Psicólogos.

14/07/08

a vida é ...

Falar sobre a vida é coisa fácil!
dizem...eu cá acho complicadíssimo!
Mas, eu também não sou nada descomplicada...
no entanto, lembrei-me hoje, e por diversas vezes(acho que duas ou tres delas até ouvi a sua voz e senti o odor a pó de talco, daquele que os barbeiros usavam , há uns anitos atrás, para finalizar o trabalho de aparar a "pera"ao meu Pai)que o tempo amortece a dor da ausência, e eu acredito como o Vila-Matas que só somos notados se nos permitirmos uma ausência,mas não cura, não faz esquecer, não muda o imutável!
Concluí, com um torpor intenso que tenho tantas , mas tantas saudades tuas!
Soubesse eu escrever e escreveria( escrever-te-ia)...mas, infelizmente só sei falar e chamar o teu nome na perfeição!
Achas que falei bem alto?


Março 1941- Julho 2002

...à Maria João Pires com um beijo!

porque há muitas formas, boas formas , de tod@s recordarmos o Joaquim Pessoa!

07/07/08

...novo look! not for ever, I hope!


pintura de Marta Bernardes( Marta Bernardes diz «ter nascido, contrariando as probabilidades de nascer outra, em 1983, no Porto. Esteve para se chamar Raquel ou Marta Isabel mas, depois de larga discussão, acabou por ficar Marta Raquel. Teve dentes de leite até tarde e, lamentavelmente, não teve irmãos. Foi atleta de alta competição e boa aluna nas sucessivas escolas por onde passou: Escola Oitenta, Pires de Lima, Soares dos Reis, Belas Artes do Porto, Belas Artes de Paris». Presentemente é doutoranda em Psicanálise da Cultura na Complutense, em Madrid.)

p.s.aceito elogios, comentários elogiosos, mimos, parabéns e até alguns(poucos, sff!)apupos...

06/07/08

...e dizem que não há boas notícias?!

Para que se saiba e se possa exercer o direito de queixa..

Obrigada a quem teve a magnífica ideia!



("rapinei" a notícia de "Uma certa enciclopédia chinesa...")

03/07/08

...importa-se de explicar???


...se não fosse dramaticamente insano e cretino o que este sr. escreve,
daria um fantástico texto de humor negro !( digno de um certo diário do Minho...)

29/06/08

...ah! o amor...

































o tempo, subitamente solto pelas ruas e pelos dias,
como a onda de uma tempestade a arrastar o mundo,
mostra-me o quanto te amei antes de te conhecer.
eram os teus olhos, labirintos de água, terra, fogo, ar,
que eu amava quando imaginava que amava. era a tua
a tua voz que dizia as palavras da vida. era o teu rosto.
era a tua pele. antes de te conhecer, existias nas árvores
e nos montes e nas nuvens que olhava ao fim da tarde.
muito longe de mim, dentro de mim, eras tu a claridade.

José Luís Peixoto

15/06/08

...a não perder!

Escreve em minúsculas palavras maiúsculas,plenas de sentir e vai para além de...
Gosto da forma como (des)encantas as tuas(nossas) palavras, valter!

14/06/08

...outros afectos!

"Os cães rodearam-na, farejaram os sacos, mas sem convicção, como se já lhes tivesse passado a hora de comer, um deles lambe-lhe a cara, talvez desde pequeno tenha sido habituado a enxugar prantos. A mulher toca-lhe a cabeça, passa-lhe a mão pelo lombo encharcado, e o resto das lágrimas chora-as abraçada a ele."



José Saramago in "Ensaio sobre a Cegueira"

11/06/08

...para o outro lado do Mundo

Hoje roubei todas as rosas dos jardins
e cheguei ao pé de ti de mãos vazias.



Eugénio de Andrade

18/05/08

...ah! o destino!



Eu não cresci à sombra de uma amoreira. E nunca brinquei com
bichos da seda.
No entanto, talvez eu não seja outra coisa senão um bicho da seda.
Condenado — como ele — a nunca me tornar numa crisálida.


Jorge Sousa Braga

20/04/08

...little sentences-major importance!

"...no meu tempo abriam-se as portas às mulheres
hoje, felizmente, abriram-se as portas para as mulheres!"

Bette Davis

06/04/08

...estado(s)de espírito



“Também temos saudades do que não existiu, e dói bastante.”


Carlos Drummond de Andrade in "O Avesso das Coisas"

foto de Nelson d'Aires

09/03/08

...outros Orgulhos!


Dia 15 de Março- é já no próximo sábado- uma mulher que eu muito admiro vai ver uma das suas obras editadas em livro:
"Amor, Poder e Violências na Intimidade"
Chama-se Sofia Neves é Psicóloga e Professora Universitária...
É um orgulho!

02/03/08

...para Ti, CPF!

"Why are we so full of restraint? Why do we not give in all directions? Is it fear of losing ourselves? Until we do lose ourselves there is no hope of finding ourselves."


Henry Miller dixit

10/02/08

...amor é:


"Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso, eu amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo, que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade."


Paulo Freire

09/02/08

...há coisas extraordinárias!!

Hoje, como muitos outros dias, ao final da noite entrei no meu blog
normalmente, pela barra de histórico(preguiça ou poupança de tempo)
e voilá! Salta o antí-vírus com um som animalesco e com a seguinte
mensagem:

"Esta págima de Internet é utilizada
para roubar números de cartões de crédito, códigos de acesso, passwords
e outros dados pessoais ."


Extraordinário...querem ver que eu estou numa qualquer "lista negra, azul, rosa",
sei lá! auto-boicote? vírus?? se fosse de fazer "juras" eu jurava que não
entendo o que se passa desde a minha última mensagem sobre a Enorme Pobreza
na minha cidade...

08/02/08

...isto é o Porto!

O Porto, a minha cidade , hoje, no séc. XXI, é uma das mais pobres do País!!!
Activismo? Solidariedade? Igualdade Social?
Sempre os mesmos a promover acções dignas desse nome...

...conjugar o futuro

"Perdemos a promessa do progresso, mas afinal foi um enorme progresso descobrir que o progresso é um mito"

Edgar Morin

06/02/08

..É urgente dizer BASTA!!!

Porque é criminoso, bárbaro, arrepiante, humilhante, revoltante e ainda aceitável por tantos..."é tradição!"
(pois, queimar suspeitos de heresia, em praça pública,também era uma "grande tradição" da santa inquisição!!!).

21/01/08

homenagem privada a uma Mulher pública!

Entrei em Londres

num café manhoso (não é só entre nós

que há cafés manhosos, os ingleses também,

e eles até tiveram mais coisas, agora

é só a Escócia e parte da Irlanda e aquelas

ilhotazitas, mais adiante)


Entrei em Londres

num café manhoso, pior ainda que um nosso bar

de praia (isto é só para quem não sabe

fazer uma pequena ideia do que eles por lá têm), era

mesmo muito manhoso,

não é que fosse mal intencionado, era manhoso

na nossa gíria, muito cheio de tapumes e de cozinha

suja. Muito rasca.


Claro que os meus preconceitos todos

de mulher me vieram ao de cima, porque o café

só tinha homens a comer bacon e ovos e tomate

(se fosse em Portugal era sandes de queijo),

mas pensei: Estou em Londres, estou

sozinha, quero lá saber dos homens, os ingleses

até nem se metem como os nossos,

e por aí fora...



E lá entrei no café manhoso, de árvore

de plástico ao canto.

Foi só depois de entrar que vi uma mulher

sentada a ler uma coisa qualquer. E senti-me

mais forte, não sei porquê, mas senti-me mais forte.

Era uma tribo de vinte e três homens e ela sozinha e

depois eu



Lá pedi o café, que não era nada mau

para café manhoso como aquele e o homem

que me serviu disse: There you are, love.

Apeteceu-me responder: I’m not your bloody love ou

Go to hell ou qualquer coisa assim, mas depois

pensei: Já lhes está tão entranhado

nas culturas e a intenção não era má, e também

vou-me embora daqui a pouco, tenho avião

quero lá saber



E paguei o café, que não era nada mau,

e fiquei um bocado assim a olhar à minha volta

a ver a tribo toda a comer ovos e presunto

e depois vi as horas e pensei que o táxi

estava a chegar e eu tinha que sair.

E quando me ia levantar, a mulher sorriu

Como quem diz: That’s it



e olhou assim à sua volta para o presunto

e os ovos e os homens todos a comer

e eu senti-me mais forte, não sei porquê,

mas senti-me mais forte

e pensei que afinal não interessa Londres ou nós,

que em toda a parte

as mesmas coisas são.


Ana Luísa Amaral

passearam no meu país...

Raríssimas...sabe o que é?

Arquivo da ervilheira

A minha "mais Kika"

A minha "mais Kika"

Dizer Não!!!

om

Alguns minutos de Boa Música

Loading...

www.endviolenceagainstwomen.org.uk