18/05/07

Do Amor e da Poesia








Um amor como este
não pede mar ou praia:
somente o vento leste
erguendo a tua saia.

O resto é o futuro
além, à nossa espreita:
doce fruto maduro
na hora da colheita.



in Daniel Filipe "a invenção do amor e outros poemas"

2 comentários:

Aspásia disse...

OLA ERVILHETA

OLHA QTO A MAR OU PRAIA... ISSO NAO PEÇO, NÃO, Q NÃO POSSO ESTAR NESSE AMBIENTE :(...

LEVANTAR A SAIA NAO HA GRANDE PERIGO, POIS USO MAIS É CALÇAS ;)...

BEM... RESTA-ME COLHER ALGUNS FRUTOS NA COLHEITA!!! ESPERO Q SEJAM DOCES...

BOM FDS

BEIJINHO FRUTADO/FRUTUOSO ~:)*

TINTA PERMANENTE disse...

Belo poema neste tempo quase-estio com cheiros já a maresia...
Abraço!

passearam no meu país...

Raríssimas...sabe o que é?

Arquivo da ervilheira

A minha "mais Kika"

A minha "mais Kika"

Dizer Não!!!

om

Alguns minutos de Boa Música

Loading...

www.endviolenceagainstwomen.org.uk